FILHOTES BORDER COLLIE ERROS E ACERTOS NA HORA DE COMPRAR

daslu-xspot-m6-1Baseado em muitas perguntas, duvidas e preocupações de pessoas que querem adquirir um filhote de Border Collie, preparei esta cartilha onde espero poder contribuir com as pessoas que desejam adquirir um filhote, visando o acerto e a satisfação após aquisição; focando um bom cão quando se tornar cão adulto, sendo a fase adulta a mais longa e duradoura da vida de um cão; fase em que mais vamos conviver com ele e que nos possibilita desfrutar dele para uma finalidade desejada ou não.

É freqüentes as frustrações e queixas dos ditos marinheiros de primeira viagem, após ter feito uma má aquisição chegam muitas vezes a desistir dos cães ou ter uma visão destorcida da raça, devido aos erros que cometem na hora em que fizeram a aquisição.
Nosso objetivo é levar você a um melhor entendimento e bom senso na busca de seu filhote que é decisivo na hora de fazer a aquisição e escolha de seu mascote. Acho que os cuidados na hora de comprar o seu peludo são muito importantes, pense que esta comprando um amigo que irá te acompanhar por boa parte da sua vida; 14 anos que é sua estimativa de vida.

Muitas pessoas por falta de conhecimento ou orientadas por pessoas de conhecimento limitado ou oportunistas se apegam muitas vezes a um detalhe ou outro; como o mais importante na hora da escolha, muitas vezes distorcendo ou invertendo os valores que o levaram a obtenção de um bom cão da raça Border Collie, muitas vezes chegando a induzir o comprador a erro; exemplos comuns que induzem a erros:
1) Um dos erros comuns é colocar em primeiro lugar o fator “chapa de displasia dos pais” (a ausência de displasia nos pais é uma obrigação do criador, bons criadores não reproduzem cães displásicos a ausência de displasia é apenas um dos itens que compõe um bom cão de pastoreio, e não o mais importante a ser considerado.

2) outro caso comum de erro é ofuscamento das qualidades de um bom Border Collie por uma busca cega por cães de orelhas em pé, pêlo longo, coleira branca. Desviando a visão dos verdadeiros valores, atributos e qualidades que um bom indivíduo na fase adulta deve ser possuidor e que fazem da raça border collie o sucesso. os cães da raça Border Collie tem uma grande variedade genética o que lhe confere grande versatilidade, inteligência, habilidade, agilidade e vigor, diferenciando-lhes como superior para as funções que se propõe a raça, portanto, não há como atestar que os futuros filhotes a nascer terão tais características. Cães de orelhas em pé, pêlo longo, coleira branca, porém, fracos e sem os atributos que o elegem como um bom cão da raça são desprovidos de valor, mostrando que o padrão da raça não se restringe somente a isto.

3) Outro erro freqüente é querer comparar Blue Heeler (Australian cattle dog) com Border Collie em trabalho com rebanhos, são raças muito diferentes e com resultados também muito diferentes, sendo desleal a comparação entre as duas raças. O Border Collie é um cão de pastoreio com bovinos, ovinos, caprinos, eqüinos, suínos, aves e etc. desenvolvido para buscar rebanhos a distancia e obedecer comandos, também desenvolvido para ser arrebanhador e condutor de rebanho é disparado superior para as funções de pastoreio devido à seleção genética. O Blue Heeler é um cão empurrador de rebanho de curta distancia; e é também possuidor de qualidades, mas que tem outro emprego. No Brasil o numero de selecionadores da raça Australian cattle dog (que criam com pedigree) é muito pequeno, a maioria é sem pedigree. Não é garantido que animais com pedigree sejam extraordinários e que todos os criadores promovam a seleção e acertos, temos que admitir que há cães fracos com pedigree que são procriados por seus donos.
Contudo a procriação de cães sem pedigree onde donos não se propõem a investir em bons cães de genética controlada (com pedigree) muito menos há de se espera. É provado que acasalamentos direcionados dão melhores resultados que os acasalamentos sem critérios de avaliação genética ou acasalamentos aleatórios de indivíduos reproduzidos, ou seja, se você cruza uma cadela com o único macho que tem disponível em casa ou mais perto ou mais fácil; dificilmente irá produzir animais extraordinários da raça. O que irá produzir facilmente será animais inferiores a não ser que se tenha muita sorte.

A constatação de desempenho de cada raça deve-se considerar somente os bons cães pertencentes elas. Veja os vídeos o You tube ou na pratica e descubra.

Importantes observações na hora da comprar.
1 – O filhote deve ser e estar saudável; a realização de recebimento de seu filhote deve ocorrer quando o mesmo já estiver 60 dias no mínimo para ir para o novo lar.

2 – O filhote deve ser de genética de qualidade provada, fruto de um acasalamento coerente, devendo-se ter cautela redobrada na compra de filhotes nascidos de acasalamentos consangüíneos ou inbreeding, de pais duvidosos ou de pais sem pedigree, pois é no pedigree que é possível verificar quem são seus antecessores se os filhotes é fruto de acasalamento entre irmãos, entre pais com filhos ou parentes de primeiro grau; as famílias a que pertencem (linhagem), algumas características transmissíveis são bem conhecidas entre nós criadores, pois é provado que as características esperadas são transmitidas geneticamente dos pais para os filhos. Tanto características boas como as indesejáveis. EX: Não ainda ir a um pé de limão e imaginar que vai colher dele um limão docinho, laranja, uva, abacate etc… Ele só dá limões, isto é a genética dele.

3 – É importante valorizar os criadores que tem critérios nos acasalamentos e que fazem o dever de casa e promovem somente acasalamentos permitidos entre cães aptos à reprodução com certificação para “CEA” por DNA ou por origem, ou seja, filho de pais com status “A” (normais). A ISDS proíbe promover acasalamentos que gerem filhotes afectados ou que um cão afectados ou positivos para “CEA” (Collie Eye Anomally = Anomalia dos olhos) seja acasalado, sabemos que devido à falta de controle e informação para CEA esta disseminada em nosso país algumas dezenas de cães afetados Anomalia dos olhos e portadores. A falta, ausência ou omissão de informação sobre CEA dos cães acasalados não isenta os filhotes frutos deste acasalamento dos resultados. Cumprindo o procedimento estabelecido pela ISDS; CEA não é e nem se tornará um problema para a raça Border Collie.

4 – Filhotes e pais devem ser livres de doenças herdadas e anomalias Ex: Sarna Demodécica, Epilepsia, Neuroses, displasia, ausência de testículo, mordedura errada, deficiências óssea e etc…
Alguns problemas estão se tornando preocupante por falta de controle ou conhecimento por parte de alguns criadores desavisados.

5 – Filhote com vacina em dia, o filhote ter recebido a 1ª dose da vacina V/8 ou V/10 em tempo hábil (45 a 60 dias) respeitando a carência da aplicação, prazo necessário para que a vacina já tenha sortido efeito e criado a imunização do filhote (15 dias após a vacinação) e ele possa ser retirado de seu ambiente e ir para o novo lar.

6 – Vermifugação – o filhote já deve ter recebido mínimo de 03 vermifugado e nas datas corretas e adequadas.

7- Escolher o filhote com estrutura física e morfológica que lhe agrada, pois se pode conseguir em um único cão de ser bonito e ser bom no trabalho. Cães somente bonitos e sem qualidades no trabalho, de nada servem, ou seja, é um descarte sem aproveitamento, isto vale para o filhote e também é de grande importância na avaliação dos pais do filhote.

8 – Deve-se descartar o filhote com temperamento descontrolado, medroso e ou extremamente sensível.

9 – Os filhotes devem filhos de pais desejáveis e de famílias provadas de cães trabalhadores, pois as características desejáveis são herdadas dos pais (Genética), muitas vezes cometem-se erros comprando um filhote somente por pertencer à raça, mas que é um fraco e desprovido dentro da raça.

10 – Um cão só é considerado realmente bom para trabalho depois de treinado e após mostrar sua capacidade para a função, antes disso não dá para avaliar, ou seja, compre filhos de pais já treinados.

11 – Instinto – É desejável que os pais sejam intensos e obstinados no trabalho e tenham desejo de pastoreio, ou seja, concentração inabalável enquanto trabalho, não abandona seu mestre, tem facilidade para aprender comandos e poder de resolução (inteligência). Lembro que muitos cães trabalham ou gostam de bolinha, mas são fracos, quem tem conhecimento especializado no assunto não os aprova, bons cães agradam principalmente a quem tem bom conhecimento sobre o assunto.

12 – O pedigree é importante – O seu filhote escolhido deve ser filho de pais puros que tenham pedigree CBKC/FCI e/ou ABC e/ou ISDS o mesmo em nome do proprietário/criador que esta lhe vendendo o filhote, no caso de cobertura por padreador de fora o criador deve ter o formulário de acasalamento assinado pelo dono do macho ou até melhor será o registro da ninhada já pronto; certifique se o criador realmente irá registrar a ninhada e o filhote, são comum os problemas e dor de cabeça na hora de receber o pedigree do seu cão, ou seja, “você não vai recebe o pedigree de seu cão” devido às irregularidades e pendências na documentação, o que impossibilita seu cão de ter o pedigree um exemplo são cadelas que vendi para pessoas que se dizem criador e treinador, mas que nunca terão o pedigree a não ser que quitem a pendência de pagamento. Muitos vendedores de filhotes que vendem para os desavisados ocultam que estão vendendo filhote com comprimido, porque depois o consolo é a dor de cabeça, suspeite sempre de criadores que não atendem o telefone, é um forte indicador de problemas futuros. A partir do momento que o filhote nasce ele já pode ser registrado e toda a ninhada é registrada de uma única vez; o criador tem até 90 dias para registrar os filhotes sem multa e o pedigree fica pronto em no máximo 60 dias após a entrada Kennel Club (CBKC/FCI). No caso de pais com registro ISDS e para tirar o registro ISDS para os filhotes o criador tem até 06 meses para registrar a ninhada; ficando pronto em até 60 dias após o registro.
No Brasil o mundo do Border Collie é bem conhecido busque no Canil onde os pais dos filhotes nasceram as informações que deseja sobre quem é o criador que esta lhe vendendo o filhote.
13 – O preço na hora de adquirir seu cão. Preço alto não é sinônimo de qualidade e muito menos preço baixo. Ao adquirir um animal mais barato ou usar como critério para compra de seu cão o fator menor preço, lhe digo que será preciso contar com muita sorte, pois quando for daqui algum tempo talvez você descubras que não vez a coisa da melhor maneira e perdeu seu tempo, talvez fique até decepcionado com a raça, esta é uma historia que ocorre com bastante freqüência aos iniciantes no mundo dos Border Collies. Bons animais de raça pura são raros e sempre vão ser bem valorizados.
OBS: Dentro de algum tempo aqui no Brasil será exigido um exame de “CEA” que são os exames da retinia para prevenção da cegueira, exame este exigido pela “ISDS” que é associação mundial de Border Collie de trabalho respeitada mundialmente com respaldo de ser a responsável pelo que o Border Collie é hoje. Em breve os cães da raça que participam do pastoreio no Brasil passaram a ser registrados pela ISDS através ABBC (Associação Brasil Border Collie) que é filiada a ISDS no Brasil, diferenciando-os dos demais.
Há um ditado no nosso meio que diz: “O Cachorro perfeito não existe! ou é porque ainda não nasceu ou por já ter morrido!
Para maior satisfação recomendamos adquirir seu cão de criadores idôneos a sua escolha.

Cláudio Murilo
Canil Boiadeiro

Um comentário em “FILHOTES BORDER COLLIE ERROS E ACERTOS NA HORA DE COMPRAR

  • 30 de janeiro de 2017 em 01:01
    Permalink

    Olá Como eu gostaria de adquirir uma fêmea desta raça Mas tenho dúvidas na hr de escolher Pois gostaria de te-la junto comigo dentro de casa Gostaria de saber se essa raça se adapta em ambiente pequeno Quintal por Exp ?

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *